sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

RTVE demite 8 jornalistas; Sindijor repudia e vê palavra descumprida

O compromisso assumido pelo secretário de Cultura do Paraná, Paulino Viapianna, em reunião realizada com uma comissão de jornalistas da Rádio e Televisão Educativa do Paraná, no último dia 20 de dezembro, durou pouco mais de um mês.

Ontem (27), foram demitidos oito jornalistas da emissora estatal. Cinco deles contratados através da Fundação da Universidade Federal do Paraná para o Desenvolvimento da Ciência, da Tecnologia e da Cultura (Funpar), dois comissionados e um que recebia por cachê.

Apesar de empenhar palavra de que não haveria demissões no curto prazo e argumentar que seriam promovidas alterações apenas de caráter editorial no jornalismo da TV, o que se confirmou por meio do presidente da emissora, Paulo Vittola, indicado por Viapianna, foi uma série de demissões arbitrárias.

O compromisso não foi cumprido. Será esse o "novo Paraná" de Beto Richa? O Sindijor repudia toda e qualquer demissão, um ato de violência. Esse não é o procedimento democrático que se espera de uma administração pública transparente.

O Sindicato vai lutar pela realização imediata de um concurso público para contratação de jornalistas, seleção que não ocorre no Paraná desde 1984. Outra obrigação do atual governo é respeitar as resoluções da 1ª Conferência Nacional de Comunicação (Confecom) e instituir um Conselho para debater publicamente a programação e a gestão da TV e da Rádio Educativa.

2 comentários:

Lana disse...

Já são mais de oito...

Luiz Fernando disse...

Quando dirigi a TV Educativa de Ponta Grossa fizemos o primeiro concurso público para provimento de cargos em diversas áreas da emissora. Que eu saiba foi o primeiro e único concurso realizado por um veículo de comunicação no Paraná. Foi um processo difícil, mas que valeu a pena.