segunda-feira, 4 de outubro de 2010

“A Educativa é nossa!” A ação de militantes tucanos contra jornalistas e uma visão errônea sobre a TV pública

Militantes do PSDB impediram ontem, ao final da apuração dos votos no TRE-PR, que os jornalistas Nirto Wolski e Cibele Fontanella, da TV Educativa do Paraná, entrevistassem o governador eleito Beto Richa. Os jornalistas já haviam tomado informações do novo governador e precisavam de mais uma declaração de Richa sobre o processo de transição. Quando se dirigiram a ele, que retornava de um périplo de entrevistas exclusivas para emissoras de TV, foram cercados por militantes tucanos, que gritavam “a Educativa é nossa!” e impediram o acesso dos dois profissionais ao candidato eleito. Wolski e Cibele, que produziam simultaneamente material também para a TV Brasil e TV Cultura, tiveram seu trabalho atrasado, pois precisariam acompanhar Richa nas demais atividades da noite. A ação dos militantes do PSDB, posteriormente deplorada em mensagem enviada pela assessoria de Richa a Wolski, demonstra uma visão equivocada acerca da TV pública. Se, de fato, no governo Requião, a RTVE passou por um indevido processo de politização e culto da personalidade, não cabe a um governo que propõe ser antítese do atual perpetuar este modelo. Da mesma forma, a crítica a este modelo não pode ter o trabalhador como destinatário – e, sim, o centro de decisões políticas que resulta numa gestão equivocada. O Sindijor lamenta a ação dos militantes contra o trabalho dos jornalistas e espera que no novo governo o caráter público da RTVE seja restabelecido.

3 comentários:

Lucas disse...

É como esses canalhas costumam lidar com as coisas.

patisem disse...

obrigada pelo texto muito bem escrito, principalmente a parte do culto a personalidade.

Anônimo disse...

OK ok ok , mas me diga como e qual é o carater (??) público da(s) TV('s) educativa(s)?
No aguarde por sua(s) resposta(s)...
Glauco